Use e abuse do melhor

Era bem comum, na casa dos meus pais, eu encontrar um objeto especial que ganharam há anos atrás. Fosse um vinho, um talher de prata, uma toalha nova, um sabonete especial, estava tudo ali guardado, esperando a melhor ocasião para ser usado.

Isso sempre me causou espanto.

Nunca entendi porque guardamos sempre o melhor para o outro, e não para nós mesmos em um dia qualquer e comum. Estamos sempre ali esperando o dia de alguma coisa, a celebração que nem está nos planos, o momento futuro que adia o desfrute da alegria presente.

Presente se chama presente porque é um presente. 

Acredito que não seja novidade para você que estamos ou sempre no passado ou no futuro e que uma das coisas mais difíceis de vivenciar é justamente a única coisa que temos de verdade, o agora, now, este segundo, já.  Então, quando deixamos algo especial para ser usado no futuro, matamos a oportunidade do momento presente e tiramos o nosso merecimento de tudo que é especial para-a-gente!

Por que não usar a toalha nova em uma terça feira às cinco da tarde? ou a faca bordada de prata para cortar uma lasanha suculenta que você mesmo preparou para você no dia que estiver só? Por que não gastar aquele sabonete cheiroso num banho matinal que vai te dar energia para começar a sua jornada, sem se preocupar quem vai cheirar? E a jóia que ganhou, o biscoito que comprou, a roupa que só poderá usar na festa de Natal do final do ano e aquele presente que comprou para alguém e por condições sociais precisa esperar a data tal para a entrega?

Os exemplos materiais parecem te estrangular na jugular quando venho aqui e te mostro que você adia os momentos especiais da sua vida, mas quando eu ir mais fundo e te mostrar que a situação é ainda pior quando se trata de vivenciar momentos simples que trazem imensa satisfação e prazer, você vai ficar de queixo caído e frustrado por perceber que você só vive pelo outro e em função do outro.

Exemplo prático: minha amiga viu uma foto minha fazendo escalda pés com pétalas de flores, frutas e sais de banho dentro há alguns dias atrás.  Ela arriscou um “estou precisando disso” mas aqui pra mim, duvido que ela se dispôs a ir lá e ter o seu momento mágico em ligeiros dez minutos do começo da noite.

Pense… qual é a complicação de se dar um momento bom? Qual a necessidade de adiar um prazer imediato, numa bacia, com as folhas e frutas que você tem em casa e com aquele creme que está parado no seu guarda roupas mofando, esperando o melhor momento para gasta-lo?

Não sei se foi porque eu já vi a minha avó pela greta inúmeras vezes o motivo de eu ter muita consciência da minha intensidade de viver ou se porque isso é mesmo um processo trabalhado por longos anos de terapia, eu consigo acreditar que essa sociedade que joga a culpa dos prazeres em nós mortais não serve, definitivamente, para mim.

Não sinto culpa à toa, mereço cada coisa boa que tem nessa vida e quero sempre acreditar que não se trata de dinheiro, acúmulo ou bens materiais porque o sentimento de merecimento do que é bom, vem da relação direta que temos com o prazer de viver cada minutinho do agora como se não tivesse mesmo amanhã. E para falar a verdade, acho muita pretensão alguém dizer que tem amanhã. Ninguém poderá nunca ter certeza disso, portanto, meu bem… viva, explore, mereça e se agrade seja com a florzinha que encontra no caminho, com uma dança inusitada com uma música que você adora ou com aquela bobagem material que está guardando para alguém que considera mais especial que você para usar.

Quando eu não tinha móveis em casa, cansei de botar toalha no chão pra mim mesma, com uma boa taça de uma bebida que eu gostasse, e ainda que comendo uma coisa simples como uma salada improvisada, tinha o meu prazer com uma excelente música e paz. Quem não merece?

Se não acha que merece o prazer de todas as coisas, vai ver os buracos que isso te abre na sua vida e não poderá culpar ninguém, a não ser você mesm@ por isso. A regra é impiedosa, ou você acredita no seu valor, ou ninguém (ninguém mesmo) fará isso por você.

Então agora vá lá, planeje um momento especial para você hoje e volta aqui para me contar. Vou delirar porque felicidade pra mim é algo contagioso e extraordinário. Seguimos espalhando a receita mágica e por hora fico aqui, com a minha deliciosa xícara de café e um minutinho de paz.

Beijo,

Renata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s